O orgulho influencia na sua vida?

O orgulho é algo essencial na nossa vida, mas quando você exagera pode ser visto como uma pessoa cabeça-dura e até mesmo soberba, afastando as pessoas ao seu redor. Você sabe como o orgulho pode influenciar na sua vida?

O que é Orgulho?

Existem dois significados bem distintos para o orgulho: o primeiro, de sentir-se feliz, satisfeito e como o próprio nome, orgulhoso de algo ou alguém. Por exemplo: fiz uma torta de limão que me deixou orgulhoso; estou orgulhoso do meu filho que passou de ano. Nesse sentido, o orgulho é um sentimento positivo.

O segundo significado é bem diferente: é sentir-se egoísta, dono da razão, arrogante e às vezes até soberbo. Por exemplo: meu marido está muito orgulhoso para pedir desculpas; aquele técnico é muito orgulhoso para aceitar a derrota.

Então ter o sentimento de orgulho, no segundo sentido, é algo ruim? Bem, sim e não. A verdade é que o excesso de orgulho, independente do seu significado, é o real problema.

Como o orgulho pode atrapalhar

Pessoas que são muito orgulhosas, tendem a ter uma postura de não-aceitação e muitas vezes são vistas como teimosas e cabeças-duras. Elas não dão o braço a torcer, mesmo que saibam que isso pode prejudicá-las.

É muito comum perceber isso, em uma discussão de casal. Um dos dois sempre procura ter a razão e no final, os dois acabam prejudicados, até mesmo porque o orgulhoso não costuma pedir desculpas e muito menos assumir o erro.

Imagine o seguinte cenário: você chega em casa e sua esposa pergunta se você trouxe a carne para fazer a janta. Você diz que não, que ela não pediu nada. Então ela mostra que te mandou uma mensagem, mas você não leu.

Nesse momento você poderia falar: “poxa, desculpa, não vi mesmo, vou comprar e já volto”. Mas o orgulho cria justificativas para que você não esteja errado, então é mais provável que você responda: “você não viu que eu não li. Se você queria podia ter me ligado. Eu não tenho obrigação de ver mensagens quando estou dirigindo.”

Se ela for uma pessoa orgulhosa, a discussão vai começar: “se fosse mensagem de trabalho você olharia; se fosse do grupo de futebol duvido que você não tivesse respondido”.

Você pode imaginar onde isso vai dar né? Os dois deitados na cama em silêncio virados um para cada lado.

Agora vamos tirar o emocional dessa conversa e trazer para o racional. Qual a vantagem de estar certo nesse cenário? Por que ceder e pedir desculpas é um problema?

Pedindo Desculpas

As pessoas tendem a achar que pedir desculpas é sinônimo de assumir um erro. Desculpas é uma forma de se mostrar consciente ou arrependido de algo e que tem a intenção de consertar.

  • Desculpe não ter visto a mensagem, vou lá comprar a carne.
  • Desculpe não ter ligado, deixa que eu vou agora.
  • Desculpe se não te liguei, estive muito ocupado.
  • Desculpe se não concordo com você. Entendo o seu ponto de vista.

Atritos, Falta de confiança

Um outro cenário muito comum acontece quando existe uma hierarquia, no exército ou em um hospital, por exemplo.

Inúmeras vezes vi enfermeiras tentando mostrar ao médico plantonista que o que eles estavam passando de medicamento não estava correto e eles simplesmente desdenhando e mandando seguir com o que havia prescrito.

A curto e médio prazo isso acaba gerando atrito, falta de confiança, um ambiente corrosivo e psicologicamente complicado.

Muito disso surge na infância, como resquícios da nossa educação. Às vezes, a falta de se sentir valorizado ou destacado durante a nossa juventude, cria mecanismos de defesa que faz com que as pessoas assumam posturas que as faça sentir mais fortes.

Mas o oposto também ocorre, o excesso de valorização e de ser colocado em um pedestal durante a infância traz o excesso de orgulho que te faz pensar que é melhor que todos os demais. Isso muitas vezes se reflete em relacionamentos abusivos, seja no trabalho ou na vida pessoal.

Já vi muitos relacionamentos em que ele ou ela, virava e falava. “Você nunca vai encontrar alguém como eu”.

O pensamento deveria ser “Graças a Deus, sai pra lá Satanás”. Mas a verdade é que o orgulho dos outros pode ferir a nossa autoestima, fazendo com que nos sintamos minimizados e isso dá mais poder e torna mais abusivo o relacionamento.

Quem nunca ouviu a famigerada frase “Quer fazer bem feito, faça você mesmo”? Desconsiderando a capacidade de qualquer um que não seja você. Isso infelizmente ainda acontece muito nas empresas, mesmo hoje em dia, em que as lideranças vêm trabalhando mais e mais o lado interpessoal, de empatia, inteligência emocional e colaboração.

Além disso, o orgulho, na forma de soberba fecha as portas para o conhecimento, afinal para que aprender se você já sabe tudo que deveria.

Momento de reflexão

Tem uma história budista que retrata de forma interessante esse ponto. Durante o inverno um executivo foi visitar os monges budistas, próximo ao Himalaia e ao chegar lá solicitou uma conversa com um dos monges.

Ao chegar, se apresentou e rapidamente tratou de falar de todas as suas formações, conhecimentos, empresas, como era o seu sucesso ao longo da vida e o monge, enquanto ele falava buscou duas xícaras de chá.

Então ele falou que sabia que os monges eram muito conhecidos pelo foco e concentração e ele começou dizendo que já estudava budismo a mais de 10 anos. Sabia tudo sobre meditação, conhecia toda a cultura, o mapa do monastério e que vinha aplicando tudo isso com maestria. Então ele viu que o monge estava derramando o chá fora da xícara.

Rapidamente ele olhou para o monge e perguntou se ele não tinha percebido o descuido e o monge calmamente falou: assim como a sua mente, quando a xícara está cheia, não cabe mais nada nela”.

A mesma soberba pode te limitar no trabalho, ou minimamente te trazer um sentimento ruim. Se você tem alguma tarefa que é necessária ser feita, faça da melhor maneira possível. Não pense “isso eu não faço”, porque se alguém está pedindo é porque é importante.

Buscando o equilíbrio

Tem uma das coisas no meu trabalho que eu não gosto de fazer, planejamento financeiro. Não gosto, mas eu faço muito bem. Porque eu sei que é necessário e quem tem soberba, não faz ou faz mal feito. Não deixe o seu orgulho te impedir de entregar um trabalho bem feito, seja ele algo de grande destaque ou simplesmente limpar o banheiro de casa.

E se você tem uma posição de liderança, lembre-se que você é o exemplo. Quando você mostra soberba e falta de humildade, você enaltece o mesmo comportamento que você está tendo.

Mas então, o que que a gente deve buscar?

Olha, cada um de nós vai ter uma resposta para essa pergunta. Mas vou começar dizendo que devemos buscar o equilíbrio, sermos e nos sentirmos orgulhosos, mas não em exagero.

Reconhecer os nossos sucessos, mas que nosso orgulho não seja apenas do meu sucesso, mas do sucesso que eu levo para os demais.

Pratique a empatia, se coloque no lugar do outro. Entenda o que ele está pensando, por que ele está reagindo dessa maneira. Pratica a escuta ativa, ou seja, deixar que o outro fale tudo sem interrompê-lo. Atenção plena é uma forma muito boa de praticar a empatia.

Não seja o mais inteligente e nem o mais ignorante, tenha espaço para aprender e não pense “isso eu já sei”. Às vezes, um minuto de uma conversa que você não queria ter ouvido, pode ser um diferencial para sua vida.

E para terminar e sendo bem clichê mesmo, não queira estar certo o tempo todo, queira ser feliz.

Quando eu aprendi isso, aprendi a pedir desculpas. Aprendi a ser transparente sobre o que eu penso, a ouvir e acima de tudo respeitar a opinião dos outros. Tudo ficou mais fácil e mais leve.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments