Entendendo a motivação que mantem seu foco

Neste artigo, vamos falar um pouco sobre foco e como vencer a guerra contra as distrações que estão cada vez mais comuns na nossa vida e que tiram a nossa motivação.

Serotonina, o hormônio do prazer

Hoje em dia as pessoas acabam tendo que fazer escolhas de como vão usar o seu tempo. Muitos acreditam que o autodesenvolvimento, estudo ou criar algo novo é perda de tempo.

Eu mesmo já ouvi coisas do tipo, “O que você está ganhando fazendo esse podcast? Podia estar vendo um filme ou série”.

E é verdade, eu poderia. Mas para mim, isso está relacionado aos meus valores, de crescimento, desenvolvimento, acolhimento, ajuda mútua e claro ao meu propósito, de ajudar as pessoas a serem melhores a cada dia.

Isso não surgiu na minha vida de uma hora para outra. Durante muito tempo eu acompanhei 11 séries ao mesmo tempo. Todo tempo livre era dedicado a assistir um episódio. Era a minha recompensa, afinal eu trabalhava o dia inteiro.

Além de assistir a tantas séries, fiz graduação, pós-graduação e mestrado seguindo essa rotina. Mas eu percebia que passava pelo estudo à espera da recompensa seguinte.

Sabe quando você é criança e estuda dois dias antes da prova só para fazer a prova e poder ficar jogando videogame depois? Era o mesmo sentimento. Meus motivadores eram a recompensa e o reconhecimento.

Depois de um tempo, de muitos cursos, treinamentos, formações, livros, coaching e mentoria, passei a entender que a recompensa imediata é igual a uma droga. Ela traz uma sensação boa naquele momento, liberando serotonina, neuro-hormônio que está associado a sensação de prazer.

Quando essa serotonina baixa, vem o mau humor, falta de entusiasmo, falta de apetite sexual, vontade de comer doces a toda hora, distúrbios de concentração e falta de paciência. isso é uma questão neurológica principalmente associada a um hábito que fica registrado lá no seu sistema límbico, responsável pelas suas emoções.

 

Mas então o que fazer para se livrar desses hábitos prejudiciais e passar a ter foco no que vai ser benéfico para sua vida e manter sua motivação?

Eu vou separar em duas partes que eu acho que vai ficar mais claro.

A primeira é que você está buscando uma recompensa e talvez não tenha nada de errado nisso, ok? Às vezes a recompensa é o que te motiva, e motivação, como já falei em um artigo anterior, é a energia que nos leva a ação.

Existem diversas formas de se motivar e estas são conhecidas como os 4 Rs da motivação.

  • Recompensa: aquilo que você vai receber em troca.
  • Resultado: aquilo que será gerado através da sua ação. Se você doa um dinheiro para uma instituição de caridade o resultado da sua ação é o que importa e não a ação em si.
  • Reconhecimento: aquilo que faz a sua ação ser percebida e relevante. Você faz um projeto bem feito porque gosta dos agradecimentos e  gosta de ser reconhecido pela excelência.
  • Realização: aquilo que fará você se sentir bem

Lembram que eu falei do “porque” desse podcast. É para me sentir realizado, sentir que tenho propósito. Ao contrário de todos os outros Rs que são extrínsecos, ou seja, vem de fora, esse é intrínseco, depende apenas de mim, do significado que eu dou a ação que estou realizando.

Então o primeiro passo é entender qual R te motiva, e isso vai ser muito importante para próxima parte e você já vai entender o porquê.

Como é formado um hábito ?

Um hábito é formado por 3 partes: gatilho, rotina e recompensa.

Ciclo de um hábito

O gatilho (ou a deixa) é o que te “lembra” daquele hábito. Por exemplo, ao chegar em casa e tirar os sapatos, o seu cérebro te faz ligar a televisão e acessar o netflix e você nem se dá conta que faz isso no automático.

A segunda parte é a rotina, ou seja, ligar a televisão, colocar no netflix e assistir a série

A terceira parte é a recompensa, que neste cenário é a sensação de prazer gerada por conta da liberação de serotonina no seu organismo.

Aqui está o grande mistério do porquê as pessoas não conseguem se manter focadas ou mudar seus hábitos.

Imagina você chegar para uma criança e perguntar: “Você gostaria de trocar o seu sorvete de creme com calda de morango por esse prato de brócolis e cenoura? Lembra que comer brócolis e cenoura é muito mais saudável que comer sorvete”.

Agora sim você convenceu, não é? Só que não.

O nosso cérebro trabalha da mesma maneira, quando você fala que quer estudar ao invés de ver Netflix ou quer ir a academia ao invés de ficar alguns minutos na cama.

Você está querendo trocar algo que ele reconhecidamente sabe que dá prazer por algo que ele só entende que gasta energia. O cerebro cria hábitos porque o seu proposito zero é eveitar gasto desnecessário de energia.

Voltando as 4 Rs da Motivação

Se você já sabe o que mais te motiva, não temos apenas um R, temos todos.

Em diversos momentos da nossa vida eles trocam de prioridade. Enquanto somos mais jovens, é mais comum que a nossa motivação seja a Recompensa, que pode ser financeira, um tempo no videogame, um presente, uma viagem.

Depois de um tempo, a nossa motivação passa a ser o Reconhecimento. Pode ser reconhecido por terminar a faculdade, ter um bom emprego, um bom cargo.

Em seguida, nossa motivação passa a ser o Resultado, focar no que conseguimos entregar, nos desafiar a sermos melhores que nos mesmos e muitas vezes que os outros.

Por último a Realização, que é entender o que realmente está alinhado com os nossos valores, nossas crenças e propósito e nos motivar pelas ações que estão alinhadas a eles.

Agora imagine que a motivação daquele garoto seja a recompensa e você pergunta para ele “Você quer trocar o seu sorvete por 1 hora de estudo e no final você vai ter uma hora de videogame”. Provavelmente, ele vai aceitar a recompensar do videograme se for algo bom.

E diferente do que Charles Duhigg apresenta sobre o ciclo de um hábito no seu livro, eu acho que não precisamos nos prender ao R de recompensa, podemos utilizar qualquer R de motivação que faça sentido para aquela pessoa.

Se você virasse para um ciclista, que pedala 30 Km por dia e falasse “Troca a sua pedalada por uma hora de trânsito e eu te pago 1000 reais por mês?”. Será que ele faria isso?”

Resumindo

Qualquer um dos 4Rs pode gerar a energia da ação esperada, não somente a recompensa.

Se alguém me pagasse pra fazer um podcast sobre jogos, eu não faria, porque não faz parte do que me realiza, entende?

Se você quer manter seu foco, seja no aprendizado, no trabalho, atividade física ou qualquer outra coisa que você vem procrastinando ao longo dos anos, comece entendendo o que te motiva.

Uma vez descoberto o seu motivador, use ele a seu favor para criar novos hábitos ou fortalecer hábitos que são bons para sua vida.

E se você quiser saber mais ainda sobre foco e hábitos ouça os episódios 38, onde falo sobre o foco com ingrediente para o sucesso e episódio 15 onde falo sobre o foco para trabalhar em casa.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments