Liderança. Por onde começar?

Liderança - Por onde começar?

No artigo de hoje vamos falar um pouquinho sobre liderança. Muitas pessoas têm dúvida por onde começar e este é um tema que eu gosto bastante e que é super extenso. Vou começar contando um pouquinho sobre a história de onde surgiu o conceito da liderança.

Liderança através da história!

Os conceitos de Liderança, começam na época de pré-história onde os seres humanos começaram a ter necessidade de viver em sociedade para melhorar a sua possibilidade de sobrevivência.

Naquele momento os talentos individuais somados eram importantíssimos para a preservação e sucesso das tribos, dessa nova sociedade que havia sido formada.

Existiam diversas atividades a serem feitas e que começaram a exigir uma certa organização. Como a caça, por exemplo: animais pequenos eram mais fáceis, porém exigiam mais saídas e colocava os caçadores em risco; já a caça de animais maiores, garantia uma alimentação mais longa, mas também exigia maior esforço do grupo, que deveria trabalhar em sincronia para garantir a vitória sobre o animal.

Naturalmente as lideranças eram formadas pelos mais fortes e capazes de garantir proteção e alimento para a tribo. Conforme a humanidade foi evoluindo, surgiram pequenos povoados, geralmente à beira dos rios para que se pudessem ter acesso à água e cultivar alimentos.

Essa organização exigia um novo aspecto, alguém que soubesse negociar com outros povoados e garantir que não haveria conflitos entre eles. O líder então passou a ser aquele que tinha a melhor capacidade de negociação e de pensar sobre a melhor forma de prosperar para aquele povoado. E as tribos foram evoluindo, ao longo do tempo.

Continuando nossa viagem…

Continuando nossa viagem pela história, iniciamos um período de adoração aos Deuses.

No Egito, O faraó era o representante de Deus, ou melhor, ele era visto como o próprio Deus. Àquele que foi capaz de dar a vida, o alimento, dono de todas as terras. Nesse momento o faraó era a liderança suprema, ele e todos os seus filhos, uma vez que esse poder era transmitido de forma hereditária.

O líder aqui era visto através do seu poder, era venerado e temido por muitos, principalmente por suas atitudes violentas que acabavam com qualquer dúvida da sua divindade.

O tempo passou e chegamos ao período grego. Na Grécia os deuses também eram venerados, mas os reis eram vistos como os verdadeiros líderes. Eles tinham um papel muito importante, guiar as lutas contra os inimigos externos e manter a segurança e boa administração da sua “polis”, que corresponde às diversas Cidades-estados que se formaram no território grego.

Em Roma não era muito diferente, o poder bélico dos imperadores era o que garantia a sua liderança. E a história sempre teve uma grande variação do que representava a liderança. Em alguns momentos era a nossa capacidade de representar uma entidade maior, um Deus, que tinha por papel olhar para todos nós como um pai.

Em outros momentos era o poder, de forma bélica, de conquista e colonização que representava a liderança, de forma autoritária e confrontadora. Guerras territoriais e mundiais aconteceram por conta dessa busca pela liderança, que se confundia claramente com poder.

A Liderança nos dias de hoje

Nos últimos 100 anos, muita coisa mudou. A indústria se reconstruiu pelo menos 4 vezes, com mudanças profundas no modelo de trabalho e na relação interpessoal.

A globalização nos trouxe novas possibilidades, a tecnologia veio como uma vela ao vento que impulsiona não apenas os negócios, mas o estilo de vida de uma forma geral.

Com isso a liderança se torna cada vez mais um desafio.

Por que eu disse tudo isso? Liderança não é uma receita de bolo. Existem vários modelos, cada um para um contexto específico e um cenário apropriado. Muitas vezes o líder precisa transitar entre esses estilos de liderança para sobreviver e ter sucesso nos desafios que aparecem.

Não existe um caminho único para liderança, mas existem uma série de fatores que ajudam a entender se você tem ou precisa desenvolver, as habilidades que favorecem esses estilos.

Este é um ponto que temos que ter cuidado. Nem sempre as habilidades de gerenciamento e de coordenação, são as mesmas habilidades de uma liderança. Isto acontece muito porque anos atrás chefia e gestão eram sinônimos de liderança.

Hoje em dia, não necessariamente o gerente é um líder e vice-versa.

Vou trazer aqui um conceito que gosto bastante sobre liderança que diz que a liderança é a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem de forma entusiasmada visando atingir os objetivos indicados como sendo para o bem comum.

Esse conceito aparece até no livro o Monge e o Executivo, e através dele a gente percebe que essa capacidade de influenciar, de forma positiva, é vista como o verdadeiro cerne da liderança.

Por isso que às vezes influenciar através da autoridade e do poder, não é visto como um bom estilo de liderança, pois é uma liderança que acontece apenas na obrigação e que geralmente depende da presença do líder.

Mas então, por onde eu tenho que começar a trabalhar a Liderança?

Como falei, não é uma receita de bolo. Porém, posso listar o que considero como pontos importantes para quem quer começar a desenvolver um estilo de liderança.

Estude

O primeiro passo é começar a estudar e não apenas sobre liderança. Eu sempre percebo que os principais fatores de uma boa liderança nascem dos comportamentos e atitudes.

Um bom líder, na minha opinião, tem características como honestidade, transparência, confiabilidade, walk talk , ou seja, ele faz o que fala. Ele tem consistência entre a fala e as ações.

Cuidar das pessoas e saber ouvir, ou seja, praticar a escuta ativa. Escutar de forma genuína, sem julgamento.

Ele conquista a confiança das pessoas através do tempo. Entende e encoraja as mudanças. É crítico de forma racional e não emocional. Ou seja, é muito importante que o bom líder tenha inteligência emocional.

Ter uma atitude positiva e entusiasmo também são importantes para uma liderança.

Em cima desses pontos temos vários temas para começar a estudar: inteligência emocional, psicologia, neurolinguística, comunicação, semiótica, negociação, análise comportamental, e muito mais.

Um bom coach ou mentor pode te apoiar e ajuda muito, e modelar atitudes e ações de bons líderes também acabam ajudando bastante.

Leia bastante, veja palestras que te façam pensar fora da caixa, como as do TED. Gaste tempo e dinheiro no seu autodesenvolvimento, não se esqueça que esse é o combustível da sua carreira.

Entenda o papel de um líder

O segundo ponto, além de se desenvolver, de estudar, de aprender é entender o papel de um líder na vida das pessoas. Muita atenção porque não estou falando o papel de um líder nas empresas. O ser humano tem um objetivo claro, intrínseco e comum a todos. E veja se você não tem esse objetivo.

“Viver o máximo possível, de forma feliz, promovendo o mesmo que quero para mim, para as pessoas que eu amo, ou seja, que eles vivam o máximo possível e felizes”.

Parece simples, mas dentro disso tudo vem necessidades como segurança, alimentação, saúde, bem-estar, comunidade, espiritualidade e muito mais. Você pode entender um pouco mais sobre essas necessidades, lendo este artigo aqui.

Se tirarmos os fatores autoritários e bélicos que foram usados ao longo dos tempos para garantir as lideranças, esses seriam os demais fatores: aquele que nos protege e alimenta; aquele que permite uma vida mais segura e comunitária e aquele que representa a fé que nos faz acreditar que existimos por algum propósito divino.

Então, se você ainda não juntou as peças do quebra-cabeça até agora, entenda que um bom líder é aquele que vê a pessoa através dos olhos dela, considerando o que para ela seria melhor.

O bom líder trabalha para que ela esteja em plenitude de saúde, de segurança, de alimentação, de comunidade e sociedade, de espiritualidade e olhando sem julgamentos. Respeita e desenvolve essa pessoa para que ela possa estar cada dia melhor em cada um desses pilares que são importantes para a vida dela. Pessoas lidando com pessoas.

Nenhuma ferramenta, metodologia, técnica vão superar a confiança, gratidão, respeito e reciprocidade gerados quando você se preocupa genuinamente em olhar as necessidades individuais, entregando o seu melhor para que ela se sinta feliz e realizada.

Concluindo.

O papel de um líder é extrair o melhor de cada um e às vezes isso confronta crenças, performance e desempenho individual e precisamos ser honestos e transparentes. Nem sempre você vai ouvir o que quer, mas quando você confia no líder, você entende que se você está ouvindo uma crítica e ela é construtiva.

Então, se você quer começar a se tornar o líder, se preocupe em desenvolver habilidades e atitudes de um bom líder. Se espelhe em alguém que você entende que tem tais habilidades e atitudes, mas não queira ser essa pessoa. Desenvolva o seu estilo de liderança.

Além disso, comece a desenvolver a empatia, o olhar para o próximo, entendendo as necessidades do outro e garantindo o equilíbrio do time em sua totalidade.

Entenda que cada um terá uma necessidade diferente, um contexto de vida, com experiências e crenças diferentes e com valores que são totalmente determinantes no grau de confiança e influência que o líder terá.

Por isso que às vezes a gente vê pessoas que se destacam na liderança e ficamos perguntando o que ele tem de especial? Ele tem valores que convergem com os do time e isso gera conexão, um senso comum.

Isso acontece até quando assistimos um filme, nos conectamos com o protagonista e às vezes com o antagonista do filme, porque temos valores compartilhados.

Se você já é líder e ainda não conhece os seus valores e valores do seu time, está aí um bom lugar para você começar! Faça um assessment de valores e entenda o que para cada um deles é importante.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments