Características Essenciais da Liderança – Respeito e Diversidade

Respeito e Diversidade

Continuando nossa série de 5 episódios sobre Características Essenciais de Liderança, hoje falaremos sobre respeito e diversidade. No artigo anterior falamos um pouco sobre empatia e diferença e se você ainda não leu, não perca tempo!

Respeito e diversidade parecem características tão obvias, não é? Mas, estranhamente, não é esse o caso.

Cada vez mais as empresas estão se tornando inclusivas, ou seja, dando oportunidades iguais, independente de sexo, idade, sexualidade, cor, credo ou qualquer outra característica que em outros momentos poderia ser um fator de segregação.

Mas sabemos que o discurso é bonito, mas nem sempre é assim. Eu sei! Por isso, gostaria de destacar que estamos evoluindo cada vez mais, mas ainda estamos longe de conseguir o que queremos.

É uma grande mudança cultural e parte da cultura da empresa é regida pela cultura dos líderes. Portanto, não faz sentido estar em uma empresa que se diz inclusiva no LinkedIn ou no Facebook, quando a gestão dessa empresa é sexista, homofóbica ou não dá a todos uma oportunidade.

É por isso que essas duas características são importantes para as empresas e ainda mais importantes para os gestores. E vamos falar um pouco mais sobre cada uma delas.

Quando falamos em liderança respeitosa, abordamos diferentes aspectos do mesmo assunto. Vamos dar alguns exemplos de cada um para entender a importância dessas ramificações.

Respeitar as opiniões

O primeiro ponto é respeitar as ideias. Costuma ser muito comum que a liderança seja dada como algo associado ao desempenho, comportamento ou resultados obtidos. O que não é necessariamente uma coisa ruim, desde que a pessoa realmente tenha características de liderança.

Muitas vezes um líder, principalmente os jovens, pensa que as suas ideias são melhores que as outras, porque tem mais experiência ou, porque pensa que como líder deve ser gerador de ideias.

O fato é que cada vez que alguém leva uma ideia, ou essa é ideia é desconsiderada e ele segue com alguma outra ideia de propriedade sua ou ele pega essa ideia e dá um “toque especial”, ou seja, ele sente a necessidade de dar a última palavra.

Obviamente nas duas situações quem levou a ideia vai se sentir tolhido, podado e provavelmente não vai mais levar ideias.

Um bom líder entende que o grupo terá ideias melhores que as suas e até incentiva que elas surjam, afinal, a mente coletiva sempre vai ser mais poderosa do que a individual.

Neste sentido, é importante aprender a segurar a vontade de opinar sobre as ideias apresentadas. E se você realmente tem um ponto importante que pode ser problemático na ideia dada,peça à pessoa que teve a ideia para pensar a respeito.

“Que ideia bacana, Fulano! E como você está pensando se o material não chegar a tempo”. Mesmo que a pessoa não tenha pensado em nada, ou não queira se comprometer e você tenha que dar a sua sugestão, faça de uma forma que a pessoa dará a última opinião. Desta forma, você respeita o outro como pessoa e como profissional, dando-lhe autonomia e responsabilidade.

Respeitar as Pessoas

O segundo ponto de respeito é lidar com pessoas, sendo pessoas. Lembra quando falei no episódio anterior sobre alteridade. Então, essa parte do respeito tem total ligação. É você entender que cada um vai ter sua velocidade de aprendizado, sua forma de aprendizado, sua produtividade, sua forma de se comunicar.

Um líder que quer um time igual, padronizado ou às vezes até igual a ele mesmo, além de desrespeitar a individualidade do outro, também perde a oportunidade de explorar o que cada um tem de melhor, de se dar para trocar experiências, de aprender juntos em grupos, e também para reconhecer habilidades individuais.

IImagine que em um ponto você precisa de alguém para lidar com uma situação de crise e em outro momento você precisa de um facilitador de comunicação para melhorar a interação da equipe e você só precisa de um perfil de método, planejadores e executores na equipe. O que você vai fazer? A diversificação do perfil, nesse sentido, é muito importante.

Respeitar nos momentos de crise

Somos pessoas completamente diferentes em momentos de calmaria e crise. E o respeito nessas situações é algo que desaparece às vezes. E não só em situações de liderança, mas também em nossa vida pessoal.

Por exemplo, nos momentos tranquilos, sou uma pessoa muito de boa e desacelerado, porém em momentos de crise fico mal-humorado, estressado e ansioso.

Admito que não gosto de crises. Mas também é o momento que eu sou aglutinador com a equipe e que eu consigo liderar de forma mais assertiva e mais simplista.

Agora, um líder que não sabe lidar com pressão ou momentos de crise, vai rejeitar opiniões. Vai gritar, desrespeitar e ser intolerante. Tudo isso tem impactos diretos na vida dos seus liderados e obviamente no seu trabalho também. Causando desmotivação, infelicidade, ansiedade ou angústia.

Percebe como uma liderança desrespeitosa pode mudar a sua vida? Muitas vezes o líder nem percebe o que causou.

Ter inteligência emocional em momentos de crise é fundamental para todos.

Respeito à Diversidade

Cada pessoa é um microcosmo de valores, experiências e decisões.

Quando falamos em respeito à diversidade, falamos principalmente de coisas como gênero, cor, religião. No entanto, esse tópico se estende a questões mais simples, como o tratamento diferenciado de homens e mulheres, pessoas com deficiência, e até mesmo características físicas como deficiência e tatuagens.

Infelizmente, já vi líderes dizerem que não contratam mulheres porque são muito emocionais. Já ouvi piadas como “ela está no TPM” ou “dormiu calças jeans”.

Já ouvi se referirem a uma lésbica como “mulher macho”. Isso pode parecer brincadeira para alguns é um grande desrespeito a diversidade.

Um bom líder realmente se preocupa com a natureza, o caráter ou as habilidades de uma pessoa. Não importa se ele tem apenas uma perna, um corpo cheio de tatuagens ou piercings, ou seja, qual for sua religião e sexualidade.

São apenas características e escolhas das pessoas, respeitar a decisão dos outros não quer dizer que você tem que ser igual. Eu posso ser católico e respeitar alguém do candomblé e isso não quer dizer que eu vou passar a ser do candomblé.

Eu posso ser hetero e respeitar alguém que é homossexual. Isso também não vai me tornar homossexual.

Resumindo

Precisamos respeitar as ideias, as pessoas e suas individualidades. Respeitar nos momentos de crise e respeitar a diversidade, permitindo que todos sejam tratados de maneira igual.

Semana que vamos falar um pouco sobre como a Inteligência Emocional influencia na liderança. Já deu para perceber um pouco por esses dois primeiros, não é?

Nós vemos na semana que vem.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments