O que é Procrastinação e como se livrar dela.

Procrastinação

O que é Procrastinação afinal?

Sabe quando você chega em casa e dá aquela preguiça, aquela vontade de deitar no sofá e colocar aquela série da Netflix que você adora? Esse momento de descanso merecido pode ser muito mais do que isso. Se você acha que procrastinar é o mesmo que ter preguiça, deixar para amanhã o que você pode fazer hoje, vou te contar um segredo, a procrastinação é muito mais que isso.

O nosso cérebro ao longo dos milhões de anos sofreu grandes evoluções, mas existe algo que nunca mudou. Ele vai fazer de tudo para você não correr riscos e gastar o mínimo de energia possível. Seu cérebro faz isso para poupar energia para o que ele acha que essencialmente vai te manter vivo, ou seja, vai evitar que você gaste energia em tarefas que ele julgue desnecessárias.

Para ficar mais claro vou dar aqui três sinais de que você está procrastinando:

Ainda tenho tempo

O primeiro sinal de que você está procrastinando é quando você tem uma tarefa para fazer, que geralmente ainda não é urgente, mas que você acha chata ou desgastante, como por exemplo: fazer o imposto de renda, fazer a vistoria do carro ou avaliar o orçamento doméstico.

Antes de mais nada, você sabe que tem tempo para fazer e pensa, para que gastar energia agora se você não precisa? O procrastinador evita antecipar qualquer atividade até que efetivamente ela se torne urgente. E quando ela se torna urgente, começa aquele sentimento de pânico que te motiva a tomar uma ação para que você não seja penalizado de alguma forma. Afinal um dos maiores motivadores humanos é a dor, seja ela real ou potencial.

Lei de Parkinson

Um historiador de guerra britânico chamado Cyril Parkinson, especializado em história naval, começou a observar um fenômeno nas repartições públicas. Independentemente da quantidade de burocracia gerada durante os processos, o tempo necessário sempre “se adaptava”.

Posteriormente, ele identificou que esse fenômeno acontecia em todas as áreas e não estava relacionado a atividade e sim a uma característica comum das pessoas de deixar para depois enquanto elas entenderem que ainda tem tempo suficiente para executá-la. Sua máxima é “seu trabalho se expande até preencher todo o prazo disponível para sua finalização”.

Quem nunca deixou para o último dia o envio da declaração de Imposto de Renda e milagrosamente conseguiu fazer? Ou aquele projeto final, que tinha um prazo de 6 meses, foi fechado no último mês com noites mal dormidas, mas que coube tudo em 1 mês? A apresentação que você deixou para fazer na véspera? E aquela viagem, que você deixou para fazer a mala quando faltavam algumas horas.

Zona de conforto

O segundo sinal é quando você tem que sair da sua zona de conforto. Sempre que você precisa lidar com mudanças, o seu cérebro vai te fazer pensar sobre todos os possíveis riscos ou razões para que você as evite.

Você quer trocar de emprego, mas tem medo de começar tudo de novo. Existe o desejo de ser se mudar, mas acaba pensando que não conseguiria se adaptar no novo país ou nova cidade. Até mesmo terminar um relacionamento pode ser alvo de procrastinação, tudo porque você não quer correr risco e o conhecido é mais simples para o seu cérebro processar.

Recompensa Imediata

O terceiro sinal é a recompensa imediata. Não é bom chegar depois de um dia de trabalho cansativo, ligar o Netflix e afundar no sofá? Acordar tarde para apreciar aqueles últimos minutos no ar condicionado. E aí um belo dia você chega em casa pensando, “hoje eu vou pra academia” e aí se senta no sofá. Pronto, todas as suas forças são drenadas e você cria inúmeras razões para não ir. “Um dia não vai fazer diferença”, “Estou saudável”, “Só vou assistir um episódio daquela série”.

Sabe o maior risco dessa recompensa por procrastinar? Tornar isso um hábito. O hábito tem um loop que começa com um gatilho. Neste caso, o gatilho é o momento em que você chega em casa, existe uma rotina que é aquilo que você deseja repetir, mesmo que para isso você deixe de fazer alguma coisa. A recompensa é relaxar no sofá, assistir Netflix ou aqueles minutos de sono a mais.

Só para você entender como é criado um hábito, imagine que você está andando em uma mata por um caminho novo. Na primeira vez você terá um pouco de dificuldade, mas vai atravessar. Depois de 30 vezes passando pelo mesmo caminho, já vai existir uma trilha e quanto mais você passar por ali, mais a trilha ficará marcada. No nosso cérebro esses hábitos ficam registrados em uma área chamada gânglio basal.

Mas não se preocupe, se você já criou esse hábito existe uma forma de modificá-lo.  Troque a sua rotina. Por exemplo, quando chegar em casa, vá a academia ou então estude. Quando terminar, assista um episódio da série que você gosta, mantendo a sua recompensa. Assim, você terá incluído uma rotina de algo que você gostaria de fazer e mudará o seu hábito.

Além dos três sintomas de procrastinação também existem outras formas de procrastinar perigosas que são, a procrastinação produtiva e a procrastinação merecida.

Procrastinação Produtiva

A procrastinação produtiva é quando você produz muito ao longo do dia, mas chega ao final do dia sentindo como se não tivesse feito nada. Imagine o seguinte cenário:

Pela manhã…

Tudo começa logo depois de você acordar. Você já sabe o que vai fazer e toma uma decisão “Hoje vou começar a apresentação que farei daqui a duas semanas”.

Arruma sua mesa, afinal um bom procrastinador não pode ficar com a mesa desarrumada. Prepara um café, pois cafeína é o seu combustível.

Abre o e-mail para separar um material, passa duas horas olhando tudo que você deixou na caixa de entrada como lista de tarefas. Responde alguns e-mails, realiza algumas ligações e aí sim começa o seu dia.

Mas você percebe que acabou o café, então se levanta e vai até a copa. No caminho cruza com a Julia que fala que a máquina dela está com problema e não consegue imprimir. Você resolve então que ajudá-la não irá atrapalhar, só são 10 minutinhos.  Depois de uma hora ajudando-a, as outras pessoas ao redor percebem que você conseguiu resolver o problema e te pedem ajuda também. Ao final, você sai certo de uma vitória.

Opa, 42 novos e-mails! Mas você não vai cair nessa pegadinha. Pega o celular pra ver que horas são e aí começa: responde Whatsapp, Messenger, dá aquela olhadinha rápida no Facebook, Instagram e uma hora depois nem lembra por que pegou o celular.  Bem, na volta do almoço eu começo.

…a tarde …

Na volta do almoço, ainda no elevador, você encontra com o William, colega de outro projeto que fala que está tendo problemas em fazer o acompanhamento do time e te pergunta como você está fazendo com o seu.

Pronto, depois de uma reunião de 2 horas explicando detalhadamente no quadro branco todas as estratégias adotadas, ferramentas, organogramas, você sai feliz com sentimento de dever cumprido, que dura aproximadamente 5 minutos até lembrar da apresentação.

Vamos! Você precisa logo começar isso, são quase 16:00 horas. 82 E-mails? Você pensa, “Preciso ler! Deve ter alguma coisa importante. E se tiver alguma coisa urgente?”. Provavelmente se você é um artista da procrastinação, você já teria lido os e-mails, enquanto ainda eram 42.

Você começa a se organizar pensando, “como vai ser se deixar 82 e-mails pra responder no dia seguinte?” Mas você decide dar apenas uma olhada, responde meia dúzia e coloca outros como não lidos pra dizer que eles são “a fazeres”.

Agora sim, é hora de começar a apresentação! Você coloca o fone de ouvido para ninguém te interromper. 10 minutos depois você está na copa bebendo uma água, afinal passou o dia inteiro sem beber nada. Volta para mesa e decide que não vale a pena começar nada no final do dia. Magicamente, muitas pequenas coisas que você queria fazer ao longo do dia você não conseguiu terminar  e agora é hora de arrumar as gavetas, fazer uma reunião rápida com o time, atualizar o quadro de férias, solicitar os reembolsos, ajustar os pontos, atualizar o planejamento financeiro.

…no final do dia.

Nossa! O dia foi tão produtivo! Por que você está a caminho de casa sentido como se não tivesse feito nada?

Aqui vem o primeiro conceito, produção não necessariamente está relacionado a produtividade. Apesar de você ter produzido muito ao longo do dia nada disso era realmente o seu foco, nada disso era o que você havia planejado e não foi por uma mudança de prioridade, foi por um processo decisório de procrastinação.

Procrastinação Merecida

A procrastinação merecida é a mais comum e no meu ponto de vista, a mais perigosa. Ela esconde um misto de frustração e ansiedade atrás de um merecido descanso de um cansaço que não existe.  Confuso né? Então veja o cenário a seguir e reflita se não cabe na sua vida ou de alguém que você conhece.

Está sendo uma semana difícil, cada dia aparece um problema novo. Você chega em casa e ficava olhando o celular rezando para não chegar uma mensagem daquele projeto que está dando problema ou que tem uma entrega essa semana.

Quando você chega em casa está tão cansado que a única coisa que quer fazer é descansar no sofá ou então tomar um banho e dormir. Só isso mesmo pra apagar esse dia estressante. Você se sente sem vontade de comer, decide beliscar uma besteirinha, come um sanduíche e dorme.

Mas o final de semana está chegando e você vai poder realmente descansar, dormir até tarde e ficar o dia todo na cama assistindo TV. No dia seguinte pode sair para beber e esquecer essa semana horrível. Graças a Deus hoje é sexta e a semana acabou. Então domingo à noite começa a sensação de frustração novamente, segunda está chegando.

Nesse cenário você está sempre ansioso, esperando acabar um problema. Você está sempre sem saber o que pode acontecer no meio do caminho e sua única salvação é o merecido final de semana, para você parar de trabalhar e ter o seu descanso merecido.  Vamos extrapolar um pouco, você espera o ano inteiro para suas merecidas férias, onde você esquece como foi duro o seu ano. E que tal, você espera a sua vida inteira para sua merecida aposentadoria onde enfim você vai conseguir descansar por esses anos duros de trabalho.

Se você se identificou nessa situação, seu problema não é apenas a procrastinação. Ela está apenas escondendo algo que precisa ser mudado na sua vida. Mas antes de qualquer mudança, pense o que efetivamente te deixa assim. Muitas pessoas acabam mudando de emprego por acharem que o emprego é o problema quando na verdade, o problema está no modo como elas encaram o trabalho que tem que realizar. O problema está no seu próprio Mindset.

Procrastinação

Por que é ruim procrastinar?

O que tem de tão ruim em procrastinar?  Bem, tudo depende de como você se sente por não fazer o que gostaria ou deveria fazer. É muito comum que após procrastinar as pessoas se sintam muito angustiadas e tenham até mesmo crise de ansiedade por terem menos tempo para fazer o que acham importante.

E como eu falei no cenário acima, a procrastinação pode estar apenas escondendo algo mais importante na sua vida. Uma insatisfação que pode acabar desenvolvendo uma doença grave como depressão, síndrome do pânico e transtorno de ansiedade generalizada.

O que posso fazer para parar de procrastinar?

A procrastinação é uma ferramenta do nosso cérebro para evitar gasto de energia em coisas que ele julga não serem fundamentais para a nossa sobrevivência, isso acontece de forma instintiva.  Não temos como não ser procrastinadores, mas podemos controlar a nossa procrastinação mantendo foco na execução do que efetivamente deve ser feito.

Foco

Em 2004, a pesquisadora da Universidade da Califórnia, Gloria Mark, decidiu investigar quais os efeitos da tecnologia na vida das pessoas e no ambiente de trabalho. O tempo em que essas pessoas ficavam concentradas em uma tarefa foi cronometrado, chegando a uma média de 3 minutos. O mesmo estudo foi refeito em 2014, já com os smartphones bastante popularizados. E dessa vez a média de concentração caiu de 3 minutos para apenas 59 segundos! Devemos isso as notificações de Facebook, Whastapp,  Instagram, e-mail, etc.

Para que consigamos nos manter no foco é importante saber definir as prioridades do que devemos fazer e nos planejar antes da execução. O nosso cérebro não gosta do caos e quando entramos em um turbilhão de atividades, sem saber qual a ordem e qual a importância, você vai se ver pulando de uma tarefa pra outra e chegando no final do dia sem ter terminado nenhuma.

Autocontrole

Em 1996, Roy Baumeister, psicólogo americano, realizou um estudo para entender como funciona a força de vontade . Para realizar o experimento, ele manteve 67 participantes do estudo em uma sala que cheirava a biscoitos de chocolate recém-assados ​​e os provocou mostrando os biscoitos reais. Após alguns minutos, alguns participantes tiveram a liberdade de pegar cookies e outros apenas de pegar rabanetes que estavam em uma bandeja.

Depois da comida, a equipe de Baumeister deu aos participantes um segundo exercício supostamente não relacionado, um quebra-cabeça para testar a persistência. Aqueles que comeram rabanetes fizeram muito menos tentativas e dedicaram menos da metade do tempo resolvendo o quebra-cabeça em comparação com os participantes que tomam chocolate. Assim, aqueles que tiveram que resistir aos doces e forçar-se a comer vegetais não conseguiram mais encontrar vontade de se envolver totalmente em outra tarefa. O autocontrole deles estava exaurido.

Isso demostrou que o nosso autocontrole é como uma bateria, ao longo do dia, conforme você tem de exercer sua força de vontade, ele vai se exaurindo. Por isso que ao final de um longo dia cansativo, nossa tendência é ceder as recompensas imediatas. Entendeu por que é tão difícil manter a dieta no final do dia?

Mas não se preocupe que existe salvação! Autocontrole é igual a um músculo, basta você exercitar para que você tenha mais. Neste caso meditação e inteligência emocional ajudam muito. Se quiser saber um pouco mais sobre inteligência emocional leia esse outro artigo: Os 5 Pilares Fundamentais da Inteligência Emocional

Dicas para fugir da procrastinação

Cada vez que a gente termina uma tarefa, nosso corpo libera dopamina, um neurotransmissor do prazer. Então ser capaz de manter o foco e realizar as atividades, vai se tornar uma recompensa e criar um hábito positivo de não procrastinar. Para isso tenho algumas dicas:

  1. Planeje seu dia no dia anterior – Quando você começa o dia pensando no que você vai fazer sua cabeça fica repleta de opções e esse excesso de opções funciona da mesma forma como quando você vai em um restaurante com muitas opções no cardápio. Você leva tempo a decidir. Nesse caso, além de perder tempo no dia, gera ansiedade e você acaba procrastinando.
  2. Seja mono tarefa – Faça uma coisa de cada vez. Estudos comprovam que ficar trocando de tarefas faz com que a gente perca um tempo de retomada e que pode fazer com que ao final do dia tenhamos iniciado um monte de coisas e não terminado nenhuma. O término de uma tarefa faz com que o nível de dopamina no cérebro aumente, ela é um neurotransmissor associado a sensação de prazer. Então quando você começa muitas tarefas e não termina nenhuma você não sente a satisfação da conclusão.
  3. Dê recompensas ao concluir uma tarefa. Da mesma forma como concluir uma tarefa aumenta o nível de dopamina no cérebro, se dar uma recompensa tem o mesmo efeito, além de ser um dos passos primordiais para criação de hábitos.
  4. Comece pelo mais importante. Comece pelo mais importante, pois se você tiver uma lista de 4 tarefas e deixar a mais importante para o final, seu autocontrole estará exaurido no final e provavelmente você vai procrastinar. A sensação de que não fez o que tinha que ser feito vai te perseguir. Fazendo o que é mais importante você vai se sentir produtivo mesmo que não tenha feito as outras 3 tarefas.
  5. Comece aos poucos. Não adianta se planejar para fazer 20 tarefas grandes e superimportantes, porque você vai procrastinar. Ninguém corre uma maratona de um dia para o outro. Você tem que ir treinando. Primeiro 5 quilômetros, depois 10, até chegar aos 42.  Aqui esse princípio também se aplica. Comece com duas tarefas e chegue no máximo a 5, senão você sempre vai deixar algo para o dia seguinte.

E uma sexta dica grátis… o custo psicológico de se forçar a procrastinar, às vezes é maior do que fazer o que você tem que ser feito. Um exemplo simples é aquela ligação para marcar o médico, conversar com um cliente ou cancelar a TV a cabo. Muitas vezes você paga um preço muito maior por procrastinar, seja pelo resultado ou pela guerrilha mental que acontece. Você sabe o que precisa fazer, mas efetivamente não o faz. Lembre-se que você pode precisar desse autocontrole mais para frente.

E por último, cuidado com a falsa impressão de produtividade. Decidir fazer algo te causa um efeito de satisfação, mas é como se você estivesse engando o seu cérebro. Você fica entusiasmado em fazer algo, mas nunca começa. Se inscrever no curso de inglês, entrar em uma academia ou comprar um livro, não é o mesmo que assistir as aulas, se exercitar ou ler.

Reflexões

Deixar para procrastinar naquilo que eventualmente não faz diferença ou que você pode delegar, como por exemplo: lavar o carro, arrumar o armário. Libere o seu tempo para realizar coisas que são efetivamente importantes para você. Às vezes vale mais a pena pagar alguém para lavar o seu carro ou dar uma faxina na sua casa, do que efetivamente você gastar o seu tempo para isso.

Se o seu prazo é longo, seu cérebro tende a não querer gastar energia desnecessariamente antes que isso se torne uma urgência. Apesar da procrastinação com prazo ter menos impacto do que a sem prazo, ela é mais susceptível a acontecer, então tente manter prazo em tudo que você fizer e não dê prazos muito longos, lembre-se da Lei de Parkinson.

Se você tem como valor o reconhecimento, ajudar é algo que te dá uma recompensa imediata, então você vai sentir o prazer de ver alguém te agradecer. Ainda mais se você achar que isso vai ser algo para te evidenciar no trabalho. Porém, ajudar o outro deixando de fazer alguma coisa que era uma responsabilidade sua vai acabar te deixando frustrado ao final do dia.

Produtividade é você fazer as tarefas que você ou quem espera tem expectativa de receber. Não adianta você produzir 10 pães quando a expectativa era uma pizza.

Dizer sim para tudo não te torna mais produtivo ou reconhecido, te torna uma referência de quebra galho. Se as pessoas te reconhecem, elas vão entender quando você precisar dizer não.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments